Neste texto, conheça alguns dos motivos que fizeram com que instalar uma vinícola na Chapada Diamantina fosse uma ideia inovadora e necessária.

 

SOBRE A REGIÃO

 

A combinação de uma imponente cadeia de serras com vegetação exuberante e rios e cachoeiras caudalosos faz bater mais forte o coração dos amantes do ecoturismo e dos esportes de aventura. Mas quem percorre as trilhas que atravessam os 24 municípios da Chapada Diamantina, localizada no centro do território do estado da Bahia, nem sempre sabe que há muito mais naquela extensão de terras do que as belas paisagens conseguem nos mostrar ao primeiro olhar.

 

UMA VINÍCOLA NA CHAPADA DIAMANTINA

 

O que os céticos chamariam de improvável, nós escolhemos chamar de oportunidade. Foi assim que Mucugê, município cortado pelo Rio Paraguaçu que fica a cerca de 450 quilômetros da capital Salvador, se revelou como lugar ideal para a Vinícola UVVA fincar suas raízes.

 

Literalmente, diga-se de passagem. Nossas parreiras estão plantadas em um solo franco-argilo-arenoso, marca registrada da região, que garante o desenvolvimento pleno dos vinhedos graças a uma estrutura que equilibra drenagem, plasticidade e profundidade adequadas.

 

A amenidade do clima tropical de altitude é outro traço geográfico fundamental que torna o projeto de instalar uma vinícola na Chapada Diamantina ainda mais promissor. Localizado a uma altitude de 1.150 metros acima do nível do mar, o território desfruta do privilégio natural de possuir estações bem definidas.

 

Isso permite à nossa equipe de especialistas traçar estratégias de produção mais assertivas, contando com um regime regular de chuvas, coisa rara até mesmo nas regiões mais tradicionais do segmento de viticultura, seja no Brasil ou no mundo.

 

ESSE É O NOSSO TERROIR

 

A alternância balanceada entre períodos de precipitação e estiagem ganha o reforço da amplitude térmica típica da localidade. A diferença entre as temperaturas mínima e máxima pode chegar a vinte graus.

 

O resultado é uma combinação de dias ensolarados e noites frias na mesma época do ano. Sabemos que essa curiosa dança dos termômetros é também um dos aspectos que asseguram a boa qualidade dos vinhos.

 

Essas peculiaridades climáticas de Mucugê permitem à Vinícola UVVA inserir na sua rotina operacional a aplicação de técnicas de otimização dos processos como dupla poda, também conhecida como poda invertida.

 

A técnica consiste em redirecionar o ciclo produtivo da videira, promovendo o primeiro corte durante o inverno (mais especificamente no mês de agosto), para a formação dos ramos produtivos, e o segundo já no auge do verão (no mês de janeiro), dessa vez para a produção propriamente dita.

 

Tendo a Serra do Sincorá como pano de fundo, o elemento humano lança mão de conhecimento especializado e inovação tecnológica para se colocar em harmonia com a paisagem e honrar os recursos oferecidos por uma natureza gigante e generosa. É a combinação de todos esses fatores que constrói o cenário perfeito para o surgimento de um terroir único na Chapada Diamantina.

 

A palavra “terroir”, de origem francesa, não encontra tradução em outros idiomas que dê conta da complexidade e sutilezas que esse conceito oculta. Nós nos arriscamos a dizer que você irá encontrar sua própria forma de decifrar esse enigma quando experimentar os nossos vinhos.

 

Siga acompanhando o nosso blog e redes sociais para receber todas as informações em primeira mão.

Ver Todas