O vinho de corte, também conhecido como blend ou assemblage, é uma bebida feita por meio de prática centenária em vinícolas, combinando diferentes variedades de uvas para criar uma mistura mais complexa e harmoniosa.

Ao unir características distintas de várias uvas, os enólogos conseguem elaborar vinhos que apresentam uma gama rica de sabores e aromas, resultando em uma experiência única para os apreciadores. Dessa forma, acredita-se que esta técnica permite uma flexibilidade criativa, possibilitando ajustes feitos com as próprias uvas para equilibrar acidez, corpo e taninos.

Confira, neste artigo, detalhes sobre o que é o vinho de corte, suas principais características, as diferenças em relação ao vinho varietal e as etapas envolvidas na sua produção. Ao final, você conhece os blends mais famosos elaborados pela Vinícola UVVA.

O que é um vinho de corte?

Um vinho de corte é elaborado a partir de diferentes tipos de uvas, daí o nome blend ou assemblage, que significa mistura em inglês ou francês. Ao combinar variedades distintas, os enólogos podem criar vinhos que possuem maior complexidade e equilíbrio.

Essa prática permite a utilização das características desejadas em cada tipo de uva, como acidez, taninos, corpo e aroma – resultando em um produto que muitas vezes potencializa a qualidade das uvas, lhe conferindo um sabor mais sofisticado.

Principais características do vinho de corte

  • Complexidade de sabores: a mistura de diferentes variedades de uvas contribui para uma paleta de sabores rica e variada;
  • Equilíbrio: os enólogos podem ajustar a proporção de cada uva para obter um equilíbrio ideal entre acidez, taninos e álcool.
  • Versatilidade: o vinho de corte pode ser adaptado para diferentes paladares e ocasiões, oferecendo uma ampla gama de estilos, desde leves e frutados até encorpados;
  • Consistência: ao longo dos anos, vinícolas podem manter um padrão de sabor mais consistente, mesmo que as safras individuais variem em qualidade.

 

Diferenças entre vinhos de corte e varietais

Enquanto o vinho varietal é produzido com a predominância de uma única variedade de uva, geralmente contendo pelo menos 75% da uva principal, o vinho de corte é feito a partir da mistura de duas ou mais castas. 

A intenção é justamente criar um rótulo com características específicas que expressem a identidade da vinícola, enólogo e terroir.

Produção de vinhos de corte: etapas e processos

A produção de vinhos de corte envolve várias etapas e processos, e cada um deles tem a sua importância para o desenvolvimento do perfil final do vinho.

Seleção das uvas

A primeira etapa envolve a seleção das castas que serão utilizadas no corte. Os enólogos escolhem as uvas com base nas características sensoriais desejadas, como acidez, taninos, aroma e potencial de envelhecimento.

 Fermentação

Cada variedade de uva é fermentada separadamente para preservar suas características individuais. A fermentação pode ocorrer em tanques de aço inoxidável, barricas de carvalho ou até outros recipientes, tudo depende do resultado procurado.

Além deste, há outro método de fermentação onde as castas são misturadas no mesmo tanque e fermentadas junto, processo chamado de co-fermentação – tecnologia que já esta sendo testada na Vinícola UVVA.

Envelhecimento

Após a fermentação, os vinhos são envelhecidos para desenvolverem seus sabores e suavizar os taninos. O tempo de envelhecimento pode variar de poucos meses até vários anos.

Corte

A etapa de mistura é onde tudo acontece. Os enólogos provam e combinam diferentes lotes de vinho para criar o corte final. Este processo pode envolver várias tentativas e ajustes para atingir o perfil de sabor desejado.

Engarrafamento

Após definida a mistura final, o vinho é estabilizado, filtrado e engarrafado. Alguns vinhos podem passar por um período adicional de envelhecimento em garrafa antes de serem comercializados.

Entender as complexidades do vinho de corte permite apreciar melhor a arte e a ciência por trás de cada garrafa. A combinação de diferentes uvas resulta em vinhos complexos, equilibrados e versáteis – ideais para serem apreciados em diversas ocasiões.

Conheça os vinhos de corte da UVVA

A Vinícola UVVA é reconhecida por seus blends de alta qualidade que acumulam prêmios. Eles são resultado de uma mistura cuidadosa de variedades de uvas, proporcionando complexidade e equilíbrio distintos.

Marcelo Petroli, enólogo-chefe da UVVA, explica que a equipe de enologia da vinícola sempre visa extrair o melhor de cada variedade para que elas se completem e entreguem um produto diferenciado.

Se você busca um vinho de corte, mergulhe agora no catálogo da UVVA.

Diamã

O Diamã é um blend tinto elaborado a partir de um corte especial de uvas selecionadas que combina 36% Cabernet Sauvignon, 26% Cabernet Franc, 23% Malbec, 12% Merlot e 3% Petit Verdot.

A vinificação deste rótulo é meticulosa: a fermentação alcoólica ocorre durante 18 dias a temperaturas controladas entre 25 °C e 27 °C, seguida por uma fermentação malolática de 60 dias.

O vinho então é maturado por 12 meses em barricas de carvalho francês de primeiro uso, conferindo elegância e complexidade ao produto final.

Petroli conta que a proposta do Diamã é de um vinho blend mais complexo e estruturado, com elegância e sutileza – tanto que o rótulo foi destaque em premiações como Descorchados, James Suckling e Decanter Awards junto a outros vinhos brasileiros

Cordel

O Cordel é outro vinho de corte premiado da UVVA que homenageia a riqueza cultural nordestina. Este vinho combina as variedades com percentuais de 65% Syrah, 22% Cabernet Sauvignon, 12% Merlot e 1% Malbec.

Sua vinificação é cuidadosa e detalhada: a fermentação malolática ocorre ao longo de 18 dias, com temperaturas controladas entre 25 °C e 27 °C. Em seguida, o vinho passa por uma fermentação malolática de 60 dias.

O estágio em barricas de carvalho, que dura 8 meses, utiliza perfis variados de carvalho, conferindo ao vinho nuances distintas e uma complexidade madura e moderna.

Marcelo comenta que com o Cordel, a vinícola teve em vista contar uma história nova a cada ano, sempre com a proposta de ser um vinho complexo, mas, ao mesmo tempo, fácil de entender, interpretar e consumir. 

Espumante Nature

A UVVA também produz vinhos espumantes de corte, muito apreciados e revelam a complexidade do terroir da Chapada Diamantina. O Nature é elaborado através do método tradicional, utilizando 60% de uvas Chardonnay e 40% Pinot Noir.

Este rótulo passa por um período de autólise de 18 meses nas caves da vinícola em condições de equilíbrio e temperatura controlada.

Marcelo explica que, no caso do Nature, o resultado esperado é um perfil voltado para elegância com acidez presente, mas buscando ser integrada de uma maneira que não agrida o paladar. 

Espumante Extra Brut

Também produzido pelo método tradicional utilizando um corte de 50% de uvas Chardonnay e 50% Pinot Noir, o enólogo explica que o Extra Brut segue a mesma linha do Nature, se diferenciando pelos 24 meses de autólise para criar um perfil distinto, que consiga extrair o melhor de cada safra.

O longo período de autólise contribui para uma complexidade aromática notável e uma elegância refinada. O resultado é um espumante de brilho intenso, com características distintas que refletem o terroir e a expertise enológica da UVVA.

“O açúcar residual do Extra Brut é relativamente baixo, dando sempre a percepção de um produto mais seco, alinhado com a finesse e elegância que buscamos para esses espumantes”, acrescenta Petroli. 

Como comprar um vinho de corte da UVVA?

A UVVA convida você a explorar sabores e particularidades de cada safra e de cada mistura feita por nossa equipe de enologia. 

Há sempre um vinho de corte único e distinto celebrando distintas castas de uvas e o terroir de Mucugê, na Chapada Diamantina.

Para adquirir os vinhos de corte da UVVA acesse o e-commerce da vinícola e os receba em qualquer lugar do Brasil. 

 

 

 

Ver Todas