O enoturismo no Brasil tem experimentado um crescimento significativo nos últimos anos, impulsionado pela expansão da indústria vinícola e pelo interesse crescente dos turistas em explorar as vinícolas e vinhedos do país.

Atualmente, as regiões produtoras de vinho estão se destacando como destinos preferidos por aqueles que gostam de viajar e desejo de se conectar com outras experiências relacionadas ao mundo do vinho, enxergando outras riquezas em torno da taça.

Por isso, quem aprecia a bebida sabe que degustar bons rótulos não é suficiente para satisfazer uma verdadeira paixão por esse universo encantador.

Se você é uma dessas pessoas que acredita que o enoturismo no Brasil é uma experiência enriquecedora que une apreciação de vinhos, cultura e turismo, este conteúdo foi pensado para você.

Confira, neste artigo, detalhes sobre o enoturismo, dicas de como explorar o potencial brasileiro e os encantos da Chapada Diamantina como um dos destaques do enoturismo no Brasil.

O que é o enoturismo?

Ao pé da letra, a palavra significa “turismo de vinho”. No entanto, o enoturismo brasileiro abre um leque infinito de possibilidades ao promover a visitação de regiões produtoras de vinho e suas vinícolas.

Ao mesmo tempo em que proporciona uma imersão no processo de produção do vinho, do cultivo das uvas até o engarrafamento da bebida, o enoturismo também descortina as dimensões históricas e culturais que envolvem a presença do vinho em cada região.

Como fazer enoturismo?

O enoturismo combina a apreciação do vinho com a experiência de viagem, proporcionando uma imersão na cultura, tradição e artesanato vitivinícola de uma determinada área.

Se você deseja embarcar nesta experiência de enoturismo, o próximo passo é reunir informações para planejar bem essa viagem e garantir que tudo se encaixe na sua expectativa.

Confira, a seguir, um passo a passo para fazer enoturismo no Brasil.

Escolha as datas

Verifique o calendário de eventos temáticos, que costumam movimentar ainda mais as regiões produtoras. Outra dica é confirmar o período de vindima da vinícola que deseja visitar. Mas, para apreciadores de vinho, o enoturismo é uma opção para o ano inteiro.

Pesquise sobre o clima da região

Além da localização, é importante saber sobre as condições climáticas em cada época do ano. A depender das temperaturas ou chuvas, a programação pode sofrer alterações.

Conheça os atrativos da vinícola

Acesse os canais de divulgação da vinícola para conhecer a estrutura e as opções. Além de tours, podem ser incluídos na programação restaurantes, espaços culturais e cursos.

Planeje seu roteiro de voos

Verifique quais as formas de acesso pois, a depender da sua localização, pode ser necessário combinar diversos meios de transporte. Se precisar de transfer, contrate antecipadamente.

Aproveite cada segundo da experiência

Desenhe uma programação que preveja tempo para viver cada experiência plenamente. Pesquise o que as vinícolas proporcionam. Prefira vinícolas que oferecem tours guiados por enólogos e com número limitado de visitantes para ter uma experiência plena. Assim como uma boa taça de vinho, esses momentos devem ser apreciados sem pressa.

 

Cenário de crescimento do enoturismo no Brasil

O mercado de vinhos brasileiros passa por uma evolução significativa, impulsionando o interesse dos turistas em visitar as regiões produtoras de vinho e vivenciar a cultura em torno da bebida.

Melhoria da qualidade dos vinhos, democratização do consumo e aumento de conhecimento especializado são alguns fatores que contribuem para o crescimento do enoturismo no Brasil.

Além disso, o enoturismo brasileiro também vem ganhando fôlego com o crescente investimento em infraestrutura e práticas alinhadas à sustentabilidade e à responsabilidade social.

Qual é a principal região de enoturismo no Brasil?

A Serra Gaúcha, no Rio Grande do Sul, é reconhecida nacional e internacionalmente por sua produção de vinhos e segue ocupando o posto de principal polo de enoturismo do Brasil.

As cidades de Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul e Garibaldi formam um triângulo que abriga o famoso Vale dos Vinhedos, conhecido pela concentração de vinícolas e vinhos de alta qualidade.

Contudo, o sul do país não é a única opção de enoturismo no Brasil

Embora o sul do Brasil seja a área mais conhecida para o enoturismo, outras regiões também se desenvolveram e se tornaram opções interessantes para vivenciar essa experiência.

Diversidade de climas e terroirs, particularidades geográficas, culturais e históricas são motivos que atraem os olhares de turistas para outras regiões, como o Nordeste.

Ao explorar outras regiões fora das rotas tradicionais, o turista que deseja conhecer a fundo sobre vinhos pode ampliar horizontes e desmistificar a ideia de que apenas a região sul produz vinhos finos e de excelência.

Prova disso é a Vinícola UVVA, que se destaca ao oferecer uma experiência de excelência, atenção a cada detalhe da visita local e rótulos premiados e bem pontuados por grandes nomes da área.

UVVA é uma das atrações do enoturismo no Brasil

Chapada Diamantina: destaque do enoturismo no Brasil

Sinônimo de turismo de aventura e de contato com a natureza, a Chapada Diamantina, na Bahia, também é uma opção para quem busca os encantos do enoturismo.

Atualmente, a região se destaca como um notável ponto de referência no cenário do enoturismo brasileiro. Além de suas deslumbrantes formações geológicas e rica biodiversidade, a região abriga vinícolas que encantam os visitantes com seus vinhos.

Nessa fusão única entre natureza exuberante e produção vinícola, a Chapada Diamantina se firma como um novo destino imperdível para os amantes do enoturismo no Brasil.

Saiba mais detalhes sobre a região.

O que fazer na Chapada Diamantina?

Quem vai à Chapada Diamantina tem um leque de opções que inclui desde esportes de aventura até atividades contemplativas, como a observação de estrelas, dentre eles:

  • Morro do Pai Inácio
  • Cachoeiras da Fumaça, do Buracão e do Sossego
  • Gruta Azul
  • Lapa Doce e Pratinha são alguns dos picos imperdíveis

Além disso, oferece opção de conhecer cidades históricas como:

  • Lençóis
  • Igatu
  • Mucugê

Passeios próximos a Mucugê

Ao visitar Mucugê, reserve um tempo para conhecer os encantos desse município reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

O Cemitério de Santa Isabel, construído em estilo bizantino, o Projeto Sempre Viva, dedicado à educação e à preservação ambiental, e o Museu Vivo do Garimpo, são visitas obrigatórias.

Mucugê também serve de ponto de partida para cidades como Igatu, conhecida como “Machu Picchu brasileira”, e Andaraí, ideal para quem curte atividades em contato com a natureza.

Enoturismo na Chapada Diamantina

A Chapada Diamantina tem mostrado um potencial crescente para atrair visitantes interessados na combinação entre a natureza e paisagens exuberantes e a produção de vinhos. Por isso, quem quer explorar o enoturismo no Brasil e está na região pode contar com os tours da Vinícola UVVA.

A atividade enoturística na região vive uma crescente em seu desenvolvimento, impulsionado pela marca de vinhos brasileiros que aposta em inovação, excelência, gastronomia e cultura.

A visita oferece experiências únicas aos turistas, com vinhos de alta gama, passeios completos e experiências artísticas, culturais e gastronômicas de encantar quem conhece.

Enoturismo no Brasil: vinicola UVVA

Vinícola UVVA e o terroir para vinhos exclusivos

Dentre tantas opções de regiões para explorar o enoturismo brasileiro, a UVVA se destaca pela produção de vinhos finos. Tudo isso começa pela escolha do terreno ideal e o cuidado dos especialistas com cada safra.

No mundo da vinicultura, o conceito de terroir engloba as nuances geológicas e particularidades do clima do lugar onde o vinho é produzido. É por isso que o da Chapada Diamantina é único.

Conheça mais sobre este diferencial da UVVA.

Terroir único

A UVVA está 1.150 metros acima do nível do mar e imersa no clima tropical de altitude, que tem como traço mais relevante a amplitude térmica.

O solo também é uma peça fundamental. Na Chapada Diamantina, o tipo predominante é o franco-argilo-arenoso, cuja composição favorece o desenvolvimento dos vinhedos.

Produção de vinhos brasileiros premium

Os vinhos brasileiros vêm se aprimorando e conquistando reconhecimento no Brasil e no Exterior. A vinícola UVVA se soma a esse movimento e se dedica à produção de vinhos premium, com uma estrutura que une a expertise de enólogos à tecnologia de ponta.

A excelência já foi chancelada por premiações internacionais como Guia Descorchados, Brazil Wine Challenge, Vinalies Internationales, além da avaliação de James Suckling, um dos críticos mais respeitados do mundo.

Conheça os principais rótulos premiados da UVVA:

  • Diamã: Safra 2020 com 90 pontos e Safra 2019 com 92 Pontos (Top Ten Tintos) do Guia Descorchados;
  • Cordel: Safra 2020 com 91 Pontos (Melhores Tintos) e Safra 2019 com 91 Pontos (Melhores Tintos) do Guia Descorchados e Ouro no Brasil Wine Challenge 2022;
  • Cabernet Sauvignon (microlote): Safra 2020 com 92 Pontos (Top Ten Tintos), Safra 2019 com 91 Pontos (Melhores Tintos – Revelação) do Guia Descorchados e Safra 2019 com Medalha de Prata do Vinalies 2023;
  • Petit Verdot (microlote): Safra 2020 com 92 Pontos e Safra 2019 com 92 Pontos (Top Ten Tintos) do Guia Descorchados;
  • Chardonnay (microlote): Safra 2019 com medalha de Ouro no Brasil Wine Challenge 2022.

Experiência artística e imersiva

A UVVA abre espaço também para a arte. A vinícola tem uma galeria em sua cave subterrânea, que proporciona, literalmente, uma imersão cultural. O local foi especialmente adaptado para receber a exposição “O Tempo Espelhado”, do artista baiano Marcos Zacariades.

Radicado na vizinha vila de Igatu, o artista com 20 anos de carreira, levou parte de suas obras, entre esculturas, instalações, vídeos e assemblages, para o interior da vinícola, o que se tornou mais uma atração para os visitantes.

Vivência gastronômica regada a vinhos excepcionais

O restaurante Arenito forma o par perfeito com os vinhos da UVVA para proporcionar uma experiência enogastronômica marcante. Tudo começa pelo nome, inspirado em uma rocha típica da região, que reitera a conexão do projeto com o terroir da Chapada Diamantina.

O chef André Chequer assina um cardápio elegante, no qual técnicas da cozinha internacional dialogam com ingredientes locais para oferecer uma gastronomia contemporânea e autoral.

Como viver a experiência UVVA?

Para quem quer conhecer os vinhos da UVVA em sua plenitude, nada melhor do que uma visita in loco.

A vinícola oferece opções de tours especiais, sempre com degustação de vinhos e acompanhamento de especialistas:

  • Visitação UVVA
  • Entusiasta Sincorá
  • Experiência UVVA
  • Imersão Vindima

Quer saber mais sobre a experiência UVVA e aproveitar o que há de melhor no enoturismo no Brasil? Entre em contato pelo WhatsApp.

Ver Todas